Avançar para o conteúdo principal

O Abraço de Gilberto Gil

Example


“… Apesar da gratidão pessoal e cidadã pela herança europeia, pela herança mediterrânea, pela herança iluminista, e todas as outras heranças que nos proporcionaram a colonização, eu tenho particular entusiasmo por tudo que ainda podemos ter, por tudo ainda que nós podemos herdar das nossas culturas continentais, da América do Sul, da Africa; dos nossos continentes que foram colonizados. Eu tenho me manifestado nesta viagem e noutras que faço, uma coisa importante que se relaciona ao Brasil. Eu costumo dizer que apesar da grande contribuição que a Europa deu à formação do Brasil, à formação dos países da América do Sul; o caso do Brasil, particularmente, foi a África o principal factor civilizatório; foi a África basicamente que civilizou e continua civilizando o Brasil. Eu tenho muito orgulho dessa ligação africana entre nós”.

Extrato de entrevista concedida por G.G em Cabo verde

Comentários

Anónimo disse…
Ah!Guidinha és extraordinaria! Mas se colocasses aqui outras passagens da entrevista do musico e ministro brasileiro Gilberto Gil, como aquela de que a lingua portuguesa é "luz, espiritual e ontologica", muita gente ficar-te-ia imensamente grata; e se calhar, até te declarariam um amor louco e perdido.....

Jay Di
Pura eu disse…
Caro Jay Di, vou tentar satisfazer esse teu desejo, certamente de muitos também. É que não pude gravar integralmente a resposta em que o Ministro/Músico se referiu à língua portuguesa...é uma pena! Mas vou ver o que tenho gravado sobre isso...

Um abraço, meu caro!

Mensagens populares deste blogue

CODÉ DI DONA: 1940-2010

Codé di Dona tem um perfil de funaná que cativou a atenção da nação” disse Eutrópio Lima da Cruz em entrevista à TCV.

Todos são unânimes em considerar Codé di Dona (1940-2010) como uma das figuras incontornáveis do funaná, género musical outrora confinada à Ilha de Santiago, hoje com ressonância universal.

Compositor de músicas definitivas do repertório nacional, como “Febri Funaná”, “Fome 47”, “Praia Maria”, “Yota Barela”, “Rufon Baré” e “Pomba”, entre dezenas de outras, Codé di Dona emocionou os cabo-verdianos, ao longo de uma meteórica vida artística, com a singularidade das suas melodias e a poesia das suas letras. A composição “Fome 47”, só para citar um exemplo paradigmático, constitui uma imensa referência sobre uma das realidades históricas mais marcantes de Cabo Verde: a estiagem, a fome e a emigração para São Tomé e Príncipe. A imagem da partida do navio “Ana Mafalda” faz parte do imaginário colectivo dos cabo-verdianos, tanto que essa música é entoada, como um hino, pelos se…

HISTÓRIA, Dire Straits... uma dentre tantas outras da minha banda preferida

Com uma harmonia perfeita de guitarra, teclados, bateria e músicas originais o DIRE STRAITS coloca o seu nome na história como uma das maiores bandas de todos os tempos.
Tudo começa quando os irmão Mark e David Knopfler resolvem formar uma banda de rock um tanto diferente das demais (pois estavam na época da plenitude do punk rock). Até então MK já tinha tido outras experiências em outras bandas (na época de formação da banda MK era um professor de inglês) e DK era funcionario público. David(guitarra), Mark(guitarra e vocal), John Illsley(baixo) e Pick Withers(bateria) que se integraram ao grupo, formaram uma banda chamada Cafe Racers que mais tarde passou a se chamar DIRE STRAITS. Juntos fizeram uma demo que incluia um, até então, futuro sucesso do grupo "Sultans of Swing", mais tarde assinaram com o selo Vertigo e conheceram Ed Bicknell que seria o empresária da banda brevemente. Logo lançaram em 1977 o seu primeiro álbum que intulava-se com o nome do grande sucesso da ban…

Poema de amanhã

(...) - Mamãe!

Sonho que, um dia,
Estas leiras de terra que se estendem,
Quer sejam Mato Engenho, Dacabalaio ou Santana,
Filhas do nosso esforço, frutos do nosso suor,
Serão nossas. (...) ilustração: Mãe preta de Lasar Segall, 1930 poema: Poema de amanhã de António Nunes, 1945