Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Julho, 2006

À espera da luz

Volta e recomeça, apesar do imutável, apesar daquele ser eternamente seu, apesar de tudo, e por tudo. Volta para nas últimas palavras do poeta encontrar a resposta. Volta, à espera da luz.

"Não um caso doentio
nem a ausência de grandeza, não,
nada pode matar o melhor de nós,
a bondade, sim senhor, que padecemos:
- bela é a flor do homem, sua conduta
e cada porta é a bela verdade
e não a sussurante aleivosia.

Sempre ganhei, por ter sido melhor,
melhor que eu, melhor do que fui,
a condecoração mais taciturna:
- recuperar aquela pétala perdida
de minha melancolia hereditária
- buscar mais uma vez a luz que canta
dentro de mim, a luz inapelável".

Pablo Neruda. in: Últimos Poemas (O Mar e os Sinos)

Silêncio

Uns dias de ausência até o regresso de um ponto qualquer.

Confidências

Vi o show em êxtase. A interpretação de Apocalipse de Manuel d` Novas, transportou-me aos momentos do primeiro disco de Dudu Araújo. Foi uma viagem. Pidrinha revisitado. Tanha de Renato Cardoso, e muitos outros.
De Nôs cantador, Dudu Araújo passou, definitivamente, para Nha cantador. Um estilo inconfundível e uma postura garbosa no palco. Interioriza a poesia lírica na sua plenitude e interpreta-a com alma. Fala com amizade e admiração dos seus compositores, fala das músicas, e interage com a plateia. Pareceu-me tímido, dir-se-ia que da sua densidade artística. Apetece-me também falar da voz, a voz do Dudu: convida a viagens, dá vida a lugares, a personagens, a detalhes do quotidiano...
Nhelas Spencer e Betú são, para mim, dois pilares fundamentais desse disco. Composições únicas numa sintonia perfeita com o intérprete. Nôs Cantador é um disco imperdível e Dudu no palco é uma outra história. Na banda que ontem acompanhou Dudu, destacava também Voginha e Bau. Um delírio bem ao estilo cri…

Dudu

Dudu Araújo é considerado, por muitos, o cantor da actualidade. Eu diria mais. Uma voz inconfundível, que desde os primeiros passos (início dos anos noventa, se não estou em erro) mostrou para que veio. O seu primeiro trabalho foi, durante anos, muito ouvido e apreciado entre nós, mas não aconteceu o mesmo com os dois seguintes, editados no Canadá onde reside. O quarto disco, "Pidrinha", foi muito celebrado, mas soube a pouco, tendo em conta a sua dimensão poética.
Neste momento o artista encontra-se na Capital cabo-verdiana a promover o seu último disco “Nôs Cantador” – título de uma morna do Betú incluída no disco, em tributo a Ildo Lobo. O último trabalho de Dudu Araújo é uma prenda e reúne, de uma sentada, os mais consagrados músicos e intérpretes cabo-verdianos: Bau e Hernâni na guitarra, Zé Paris no baixo acústico e Tey Santos na percussão. Dos compositores, Betú, Vlú, Nhelas Spencer, Teófilo Chantre e Manuel D`Novas impressionam com o seu lirismo.
"Nôs Cantador&quo…

Em busca do "meu clássico"

Terminei de ler "Riso na Escuridão" de Vladimir Nabokov, releio "O Amante" de Marguerite Duras e inicío uma viagem por "Porque ler os clássicos?", de Ítalo Calvino. Este último livro fez-me pensar nas minhas leituras de adolescência. Leituras desajeitadas, porque não orientadas, leituras ao acaso, algumas indicadas, é certo. A minha grande decepção residia na memória nublada que tenho de alguns livros. Nos meus 13, 14 anos devorei a magra coleccão juvenil, e não só, da biblioteca municipal da minha cidade. Era conhecida do responsável pela Biblioteca, um rapaz que tomava conta apenas daquele espaço, já que mal sabia escrever. Tinha entrada e circulação livre pelas estantes, via e revia os titulos, lia e relia as introduções. Aquilo que me agradava à primeira, levava.
Revistas e jornais também contam. O pároco de S.Filipe era assinante da revista Família Cristã. Eu era a segunda leitora assídua de cada número daquela publicação. Ia à casa do Pároco, religio…

Africa Rainbow

Africa Rainbow é o blog criolo mais recente da web. É suportado por uma banda de reggae que existe em Brockton, Massachussets, há 5 anos, formada por um grupo de jovens de origem cabo-verdiana. "Rapazis di Rainbow" estão com o pé na estrada, daí esta incursão bloguista, a promover o seu primeiro demo gravado no estúdio da própria banda. Esse lançamento tem um carácter puramente promocional, como frisa a banda na sua página. O grupo está aberto a espectáculos e espera o seu contacto.
De referir o espírito irreverente e a incondional ligação à terra do Africa Rainbow. É só visitar o blog e conferir.

Poesia

Danae no Tabanka Mar

"Condição de Louco"é o título do primeiro CD da Danae, lançado no ano passado. Um disco diferente, solto, e sem selo. As músicas cantadas predominantemente com sotaque brasileiro revelam uma voz melódica e doce, ainda em processo de busca, pareceu-nos. Danae nasceu, há 26 anos, em Cuba, filha de mãe cubana e pai cabo-verdiano, cresceu nestas ilhas, e recentemente foi estudar em Portugal, onde conseguiu gravar o seu primeiro disco. Um trabalho que espelha essas geografias todas, numa síntese muito pessoal. O criolo, a bossa nova, um balanço que incide entre a coladera e o samba; uma certa manha e universalidade que atestam o nascimento de mais uma estrela cabo-verdiana com os olhos postos no mundo.
"Condição de Louco" dá-nos ainda a conhecer uma escritora de sons sem precedente. As composições do disco são simplesmente surpreendentes. Danae já actuou no Mindelo e vai estar na Sexta-feira e no Sábado no Espaço Tabanka Mar, na Praia, para dois shows que prometem.

Tabank…

Vidas passadas

As ladeiras
As calçadas
Os olhares
O mundo
O sonho
A saudade
A igreja
O terreiro
As lembranças
Vidas passadas