Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2011

Domingo de Páscoa

Crónica de Domingo de Páscoa para Margarida Fontes, Manuel Alves e Daniel Lobo


Anteriormente guardada numa das sacristias, geralmente a de baixo onde também se confessava, hoje colocada na nave central da Igreja Matriz de São Filipe, a imagem de Nosso Senhor dos Passos impressiona pela sua imponência e pela sensação de dor que transmit...e: num estrado de mogno de quase dois metros de largo, o Filho de Deus feito Homem, vergado sob o peso de uma enorme e negra cruz de madeira, vestido com uma túnica púrpura que lhe cobre todo o corpo, a fronte rasgada pela coroa de espinhos, os cabelos desgrenhados e o olhar vítreo de quem já antevê a morte, arrasta-se penosamente para a remissão dos nossos pecados e para que um dia o possamos ver regressando em Todo o Seu esplendor e Glória.
As histórias á volta desta imagem são inúmeras a começar pelo seu peso de mais de duzentos quilos exigindo, por vezes, exercícios de autentico malabarismo durante o seu percurso pelas ruas íngremes de São Filipe…

Poema novo

Tem dias que estou botânica, afoita à flor, assim rosa.

Tem dias que estou em doida, adormecida, de ambulante.

Tem dias que estou radioactiva, átomos de versos, bomba.

Animal, às vezes de lasciva, outras vezes em toca e troca.

Mulher, que dentro me passeia, em sua estranha prosa.

Poeta que se evade da matéria, em tanta pedra, sou eu.

Poeta dos dias em que estou, afoita à dor, enfim rosa.

pura eu

Vamos celebrar a Bandeira

"Os momentos" foi durante anos um portal de divulgação cultural, e as Bandeiras da Ilha do Fogo sempre foram abordadas neste sítio. Primeiro, porque são manifestações tradicionais de uma riqueza cultural e simbólica que extravaza a ilha; segundo, pela movimentação que provocam, constituem um motivo incontornável de união da nação global cabo-verdiana.

Hoje, apenas uma identificação pessoal traz-me para esta conversa sobre a Bandeira de S.Filipe. Um convite emotivo, diria!

S.Filipe, na segunda quinzena de Abril, distancia-se, de todas as formas, da cidade pacata do dia-a-dia que todos conhecemos. Diariamente, nesta época, chegam "a bila" uma média de 300 pessoas; as pensões e os hotéis ficam super lotados, as ruas enchem-se, a noite a o dia confundem-se! É simplesmente maravilhoso.

A Bandeira de S.Filipe coincide com a festa do município que também culmina no dia 1º de Maio. A Casa da Bandeira e a Câmara Municipal, cada um a seu modo, e numa espécie de concorrênci…

Flash (black)

(...) Sinto uma forte melancolia, um sentimento especial e inesperado quando ando pelas ruas desta cidade. Confidência de Alain Jean-Marie. O pianista de Guadalupe disse que irá transformar esse estranho sentimento em música."Cresci com cabo-verdianos em Rhode Islands"... (Marc Cary, pianista da banda de Cindy Blackman Santana)(...) what a beautiful place and such warm lovely people. Can´t wait to come back! (Cindy Blackman Santana sobre Cabo Verde)

Portal Atlântico, o Filme

Festival Vis a Vis vai ser anual

Cabo Verde recebeu na semana passada o Concurso Vis-a-Vis, iniciativa da Casa de África, numa parceria entre cabo-verdianos e espanhóis (com várias instituições envolvidas), visa recrutar novos talentos cabo-verdianos do mundo da música. Esta primeira edição escrutinou mais de cem concorrentes para uma selecção de 16 propostas artísticas. Sobressaiu deste certame, que não deixou de ser inédito nestas paragens, a variedade das ofertas musicais em palco e ficou patente que os artistas cabo-verdianos percorrem hoje um vasto naipe de estilos e géneros, dos tradicionais aos contemporâneos. Outro aspecto a sublinhar nesta espécie de casting alargado, que aconteceu na Praça Luis de Camões no Plateau, foi a montagem dos espectáculos com interacção do público que, em certos momentos, reagiu como se um festival de música se tratasse. A par disso, a 'movida' criada na Cidade da Praia, em véspera do Kriol Jazz Festival.















O Director da Casa de África, Armando Rua, diz-se fascinado com Cab…

Claire Andrade-Watkins: um abraço à Terra Mãe


























"Some Kind of Funny Porto Rican? A Cape Verdean American Story” (SKFPR ). Este filme mereceu uma nota há poucas semanas nesta página, mas o melhor estaria certamente por vir, depois de uma conversa com a cineasta, Claire Andrade-Watkins. Cabo-verdiana de segunda geração, professora na Emerson College, docente visitante na Brown University, e fundadora /directora de SPIA Media Produções.

No começo da nossa conversa quisemos saber quais as razões, à par do fazer cinema, que ditaram a estrada desta tão aclamada e tocante produção. Um filme que conta a saga dos cabo-verdianos em Fox Point, estado de Rhode Islands. Da sua fundação pelos cabo-verdianos à sua destruição, por motivos de urbanização, ela desfia a história de Fox Point.

Num universo onde as minorias nunca foram protagonistas, Andrade-Watkins quis quebrar as regras e contar a memória do seu povo em primeira pessoa - literalmente, é o que faz ela no filme. “Na qualidade de estudante de história /PhD, passei a conhecer o …