Avançar para o conteúdo principal

aquele olhar

o reencontro
outra despedida

aquele olhar de sempre
solitário...triste

morrer é uma certeza
viver... quem sabe!

Comentários

J.Faria disse…
Gostei imenso deste blog!Pela simplicidade e poesia e pela escelente escrita...deixo no entanto a mesma msn que venho deixando noutros blogs de caboverdianos...Olá a todos e desculpem a invasão, mas não posso deixar de dizer uma coisinhas!Lá vão já 30 anos de independência! Ena pá! Quem diria Cabo Verde é um país viável! Acima de tudo ainda consegue produzir figuras de porte internacional: Cesária Évora, Germano Almeida, Tito Paris, Herminia e e e e.... a sustentar esse desenvolvimento formidável sem duvida uma elite intelectual que vem desde os tempos coloniais e se foi reforçando com grande pensadores ao longo desses anos. Posto isso, então não entendo eu por que raio se deixam vender da forma como se está fazendo nesse tal “Nha terra Nha Cretcheu”, lindas imagens, sem duvida, igual hipocrisia, igual desrespeito pelos que suponho não têm uma vida tão fácil, tão colorida. Parece um programa feito por encomenda de alguém que se quer manter no sonho de um pais perfeito, na fantasia de que o futuro é uma reserva cor de rosa para o pais. Frases como: “Mindelo é uma ilha dominada por europeus” ou” particularidades culturais que se podem encontrar sempre nos locais geridos por europeus”. Cabo Verde é ou não um pais livre e democrático? Pus-me a pesquisa na net. Encontrei várias coisas interessantes, inclusive um blog dos tipos que fazem o programa, mentalidade “tuga” até ao tutano(deixo á vossa curiosidade a procura desse blog) e meu pasmo vem do facto de não ter encontado em nenhum jornal online, em nenhuma página ou blog de cabo-verdianos uma critica séria ao tema! Será que os caboverdianos têm medo de alguma forma de repressão???quem são os tipos e como foram parar a Cabo Verde??? Então pus-me no search à procura de jornais e páginas cabo-verdianas, encontrei imensas coisas interessantes inclusive inúmeros blogs, alguns muito muito curiosos, apartir de uns fui tendo acesso a outros e agora não vou perder contacto com essa terra sabi. Contudo nas páginas/blogs todo mundo bla bla bla bla voltas e voltas e mais massagens ao ego entre muitas informações uteis e logo adoptar uma atitude critica respeitoa repeito da falta de respeito desfarçada com que se trata o povo caboverdiano no cartão postal de Nha terra nha crectheu!! Eu como português fiz voluntariado em 94/95 e 96 em Santiago e Fogo, de facto gostei, mas ao mesmo tempo trabalhei com a população mais carenciada do interior dessas ilhas e muito recentemente estive aí e a situação não é muito melhor, daqui de Viena, onde vivo actualmente, apanhei o programa por acaso na RTp int., agora tento ver o programa sempre que posso, mas tenho sempre a impressão de ser propaganda política de muito mau gosto numa democracia! Beijos e abraços a todos e desculpem lá a invasão ....
João Faria Guerra: joo_guerra@yahoo.co.uk
Anónimo disse…
A crítica desse programa é muito pertinente. Informação deve diferenciar-se da propaganda. E, mesmo o marketing, exigiria um pouco mais de subtileza. Acreditamos que com a entrada de Margarida Fontes no programa, a questão se revolva. De facto, estava-se a precisar de um jornalismo mais culto e com embasamentos históricos, estéticos, filosóficos e outros.
Pura eu disse…
Como sabe Sr (a) anónimo(a) que a Margarida Fontes entrou para o programa?
Anónimo disse…
Há coisas que vão sendo de domínio público. Praia é uma aldeia. E a TCV é uma capelinha. Tudo se sabe. Por isso, ficou-se feliz com a entrada da Margarida Fontes.
Anónimo disse…
Really amazing! Useful information. All the best.
»
Anónimo disse…
I love your website. It has a lot of great pictures and is very informative.
»
Anónimo disse…
Great site loved it alot, will come back and visit again.
»
Anónimo disse…
Your site is on top of my favourites - Great work I like it.
»
Anónimo disse…
I find some information here.
Anónimo disse…
Especially I like the first site. But other links are informative too, if you are interested check all those links.http://neveo.info/196.html and http://google-machine.info/2021.html

Mensagens populares deste blogue

CODÉ DI DONA: 1940-2010

Codé di Dona tem um perfil de funaná que cativou a atenção da nação” disse Eutrópio Lima da Cruz em entrevista à TCV.

Todos são unânimes em considerar Codé di Dona (1940-2010) como uma das figuras incontornáveis do funaná, género musical outrora confinada à Ilha de Santiago, hoje com ressonância universal.

Compositor de músicas definitivas do repertório nacional, como “Febri Funaná”, “Fome 47”, “Praia Maria”, “Yota Barela”, “Rufon Baré” e “Pomba”, entre dezenas de outras, Codé di Dona emocionou os cabo-verdianos, ao longo de uma meteórica vida artística, com a singularidade das suas melodias e a poesia das suas letras. A composição “Fome 47”, só para citar um exemplo paradigmático, constitui uma imensa referência sobre uma das realidades históricas mais marcantes de Cabo Verde: a estiagem, a fome e a emigração para São Tomé e Príncipe. A imagem da partida do navio “Ana Mafalda” faz parte do imaginário colectivo dos cabo-verdianos, tanto que essa música é entoada, como um hino, pelos se…

HISTÓRIA, Dire Straits... uma dentre tantas outras da minha banda preferida

Com uma harmonia perfeita de guitarra, teclados, bateria e músicas originais o DIRE STRAITS coloca o seu nome na história como uma das maiores bandas de todos os tempos.
Tudo começa quando os irmão Mark e David Knopfler resolvem formar uma banda de rock um tanto diferente das demais (pois estavam na época da plenitude do punk rock). Até então MK já tinha tido outras experiências em outras bandas (na época de formação da banda MK era um professor de inglês) e DK era funcionario público. David(guitarra), Mark(guitarra e vocal), John Illsley(baixo) e Pick Withers(bateria) que se integraram ao grupo, formaram uma banda chamada Cafe Racers que mais tarde passou a se chamar DIRE STRAITS. Juntos fizeram uma demo que incluia um, até então, futuro sucesso do grupo "Sultans of Swing", mais tarde assinaram com o selo Vertigo e conheceram Ed Bicknell que seria o empresária da banda brevemente. Logo lançaram em 1977 o seu primeiro álbum que intulava-se com o nome do grande sucesso da ban…

Poema de amanhã

(...) - Mamãe!

Sonho que, um dia,
Estas leiras de terra que se estendem,
Quer sejam Mato Engenho, Dacabalaio ou Santana,
Filhas do nosso esforço, frutos do nosso suor,
Serão nossas. (...) ilustração: Mãe preta de Lasar Segall, 1930 poema: Poema de amanhã de António Nunes, 1945