12 de julho de 2011

Lucidi Comunicazione



















1. Aprecio o modo lúcido (ácido ou não) como Corsino Tolentino fala das questões comunicacionais em Cabo Verde, mais concretamente de um ou outro desempenho dos media; a forma fluente como articula sobre os meandros, o jeito despretensioso como percorre as gramáticas. Isso, vis-a-vis às opiniões, muitas, desenquadradas e confusas que se nos oferece sobre a área em questão. Não existe pretensa crítica (analítica), mas sim crítica, e a liberdade de se gostar ou não de uma determinada prestação. Concluindo: de Corsino Tolentino se ouviu das poucas análises consequentes sobre o debate presidencial que aconteceu na TCV no passado dia 6 de Julho. Confiram no programa Visão Global no site da RTC.

2. Quando, mas quando é que os gabinetes de imagem, assessorias de imprensa e semelhantes irão perceber que um plano ou práticas de comunicação e divulgação eficientes não são aqueles que promovem os directores e os ministros, mas sim aqueles (outros) que fornecem informações pertinentes, claras, traduzidas, úteis, atractivas… enfim, de utilidade?! É desesperante estar à procura de informações e só dar de cara com notas de actividades do director/ do ministro (sempre acompanhadas da tal fotografia dos próprios). Uma cultura de propaganda que só entorpece as Instituições.

3. Da análise de Corsino Tolentino, apenas discordo de uma nota: quem no debate esteve demasiado preso a alguma coisa que não as presidenciais foi Manuel Inocêncio. O tempo que o separa do cargo de ministro das infra-estruturas do governo de José Maria Neves, e a intensa cumplicidade partidária que os une não contribuem para o desembaraço que vai precisar nestas campanhas. O seu próprio discurso o trairá, sempre. Mas eleições em Cabo Verde já se ganha com outros trunfos, e o candidato do primeiro-ministro tem margens para ser o próximo Presidente da República. Mas que não venha propalar a fé na cidadania. Será forçado!

4 comentários:

da caps disse...

Agora sim, considero o teu espaço De volta com a ternura e a poesia dos dias claros. :)
É que de facto,
as práticas de comunicação e divulgação eficientes inclusivé os que querem ser ouvidos ou lidos, não são aqueles que promovem-nos ou 'our relatives' - friends inclusivé,
mas sim aqueles (outros) que fornecem informações pertinentes, claras, traduzidas, úteis, atractivas… enfim, de utilidade
isto tudo para dizer qq coisa como beijinhos & welcome back
:)

pura eu disse...

Glad to "see you" da Caps..you know that.

Kiss

Anónimo disse...

Ola, Vi o programa que mencionaste Visão Global e como estes dias é dificil ouvir-se avaliações objectivas, gostava de ouvir entender o "teu lado" - o porque de não concordares com a nota de CT!ABR

pura eu disse...

Olá. Quando Corsino Tolentino diz que JCF esteve no debate muito próximo ao MPD, discordo. Porque Tanto Lima como Fonseca tentaram assentar a ideia de cidadania... (podem é não consegui-lo cabalmente). Entendo que para Inocêncio é tudo mais complicado, porque esteve recentemente no governo, ainda possui um discurso de governante, e está demasiado colado a José Maria Neves (vide a sua campanha). Essas nuances não abonam a cultura de Estado necessária para se exercer a mais alta magistratura. Mas também entendo que o eleitorado cabo-verdiano, infelizmente, deixa-se levar por outras "atracões eleitoralistas", e que nada do que dizemos ou pensamos venha ser consequente no dia 7 de Agosto. Basicamente foi o que quis dizer! Abraço.