Avançar para o conteúdo principal

Da memória, dos rituais, dos sons aos livros… em 2008

Tete de femme, Picasso

























1. Um dos projectos mais pendentes de que tenho memória em Cabo Verde foi o Museu Municipal de S. Filipe, daí, também, o seu ineditismo. A restauração do sobrado di nha Francisquinha (nome popular), a recolha dos objectos etnográficos e a efectivação do protocolo entre a Câmara Municipal de S. Filipe e a Câmara Municipal de Palmela (Portugal) duraram 12 anos. Finalmente, o espaço foi inaugurado no passado dia 13 de Dezembro, e a partir de meados de Janeiro de 2009 estará aberto ao público das 10H à 15H, e das 17H às 20H. De recordar que o Museu situa-se mesmo ao lado da Casa da Memória, outro espaço etnográfico de grande servidão aos turistas e estudantes na Ilha do Fogo. Expectativa: que o Museu da Cidade receba muitos turistas e curiosos e trabalhe em sintonia com a Casa da Memória.

2. Os momentos tristes também podem ser grandes, pela simbologia que carregam. No ano 2008 faleceu na Cidade da Praia, Francisco Fontes. O decano das bandeiras da Ilha do Fogo. Nhô Mulato, como era conhecido, faleceu com 103 anos, e desde os seus 11 anos era o Cordidjêru (chefe) da maior festa popular de Cabo Verde. A Banderona que celebra S. João, acontece durante 22 dias antes do Carnaval na zona de Campanas Baixo, Fogo. De recordar que esta bandeira é secular e foi fundada por três famílias originárias da região de Campanas, o que obriga a que “a bandeira seja tomada” apenas por membros dessas famílias. Expectativa: Que mesmo sem a figura de Mulato a Banderona continue a preservar a memória, a resgatar valores, e a perpetuar a união.

3. Faleceu Manu Mendi, tido como o último tocador e construtor de Cimboa, instrumento tradicional usado no batuque. Permitir que se perca um legado é um pecado. Expectativa: que se dinamize seriamente a convenção da UNESCO sobre a Diversidade Cultural rectificada no âmbito da CPLP, antes que outras perdas do tipo se repitam. Penso nas várias manifestações de cariz popular e religiosas existentes em ilhas como S. Nicolau, Brava e Santo Antão. Recordo-me de “Canizade” na Ilha do Fogo que hoje praticamente ninguém sabe do que se trata.

4. A inauguração do Museu de Tabanca em “Tchan di tanqui”, e do Centro Cultural Norberto Tavares no coração da Assomada carregam, do nosso ponto de vista, muita simbologia: imortaliza um ritual e perpetua um homem. Expectativa: 1. alma e muita cultura aos “dois chãos” que representam o lado mater desta nação crioula. 2. Auguramos bom porto para a emblemática casa onde residiu Amílcar Cabral em Achada Falcão; e a prometida Casa di Morgado (na antiga e enigmática casa do Morgado da Ribeira dos Engenhos).

5. Foi anunciada o início da obra para a recuperação do antigo Orfanato de Caleijão, que vai albergar o Museu Sacro em S. Nicolau. Já é repetitivo falar e escrever sobre as pérolas sacras (objectos do século XVIII) que estão depositadas numa das salas do Seminário-Liceu, (os objectos em ouro estão guardados numa caixa do banco) da Ilha de Chiquinho. Expectativa: Que a obra avance logo. Caso contrário, não teremos museu algum, já que os objectos não têm merecido devido cuidado.

6. A Língua cabo-verdiana foi tema, e conheceu alguns progressos em 2008, apesar da “ala regressiva”. O debate sobre o crioulo deve ser alargado, (e a língua é pujante, sabe-se) mas a sua instrumentalização e posterior oficialização interpelam questões de ordem técnica e política. Expectativa: que não tenhais receios.

7. O CD Spiga de Princezito é um corolário de cores, ritmos e cheiros. Foi a prenda que mais ofereci no ano de 2008.

8. José Luíz Tavares foi galardoado pelo Ministério da Educação do Brasil, com o prémio «Literatura para todos» pela obra inédita «Os Secretos Acrobatas». Em Novembro deste ano lançou na 8ª Bienal internacional do livro de Ceará a obra intitulada «LISBON BLUES seguida de DESARMONIA» (dois livros inéditos, reunidos num único volume). Em Moçambique, José Luíz Tavares lançara Cabotagem & Ressaca, publicado pela Escola portuguesa de Maputo: uma selecção de poemas de «Paraíso apagado por um Trovão», «Agreste Matéria Mundo» e inéditos.

9. A vitória de Barack Obama foi um momento ápice na história da humanidade (sim, senhor). Expectativa: que são se deposite demasiadas expectativas nas suas costas, nem pressões “incompreendidas” como as que já se notam por causa dos ataques em Gaza.

10. O falecimento de Miriam Makeba, a diva africana do Século XX, foi um forte aperto nos nossos corações. Expectativa: sejamos firmes, todos e todas.

11. De Francisco Fontes (jornalista português) recebi isso: “Em 2008 realizámos algo que, infelizmente, não é muito comum. Pela união de disponibilidades e de vontades, generosamente, conseguimos criar uma obra capaz de divulgar alguma da nova e boa poesia cabo-verdiana, com “Destino de bai! Foram projectos de crença, para os quais cada um teve uma participação decisiva. Cada contributo enriqueceu o projecto e tornou-o viável, e foi indutor de outras participações. Parece demasiado romântico, ou da dimensão do utópico, mas foi realizado. Conseguimos!” Expectativa minha: um lançamento em Cabo Verde em 2009, já que apesar de ter sido uma das participantes, ainda não tomei contacto com o livro.

Senti falta de ...

Mário Lúcio: Gosto dele no palco a cantar, e gosto das palavras do escritor (como de as ler). Por incúria minha, talvez, não tive esse prazer. Hoje, cruzei-me com ele no seu carrinho na descida de Achada Mato.

Matilde Dias: Muitas histórias e muitas reportagens ficaram pelo caminho sem o toque da Matilde.

Beto Dias: O novo disco já está pronto e só sai em Janeiro. Dias se distanciou das características que o destacavam nos Rabelados e nos seus primeiros dois discos, mas deixa falta.

Poesia, e de ti.

Comentários

da caps disse…
Beto,

é a forma que ele encontrou de seguir o seu caminho, não tão "terra-a-terra" como com os Rabelados, mas seríamos injustos se dissessemos com que não é com igual qualidade

"à mulher de césar, não basta só ter gosto pela música, é preciso assumi-lo"
:)

greetings 4 all
Pura eu disse…
Estou ciente :)

Se deixei essa ideia, retiro-a ... e se tiveres o Best off de Beto Dias em casa, vai ler o que escrevo no encarte a esse respeito. O distanciamento dos Rabelados não significou falta de qualidade... não mesmo.

Feliz Ano da Caps
da caps disse…
Por acaso não tenho esse CD em particular, mas já estou curioso para ver o que lá está :)

Obrigado e votos de um ano bom a todos, em especial para ti.
Pura eu disse…
Tenta arranjar o CD, e "mata" a curiosidade :)

Mensagens populares deste blogue

CODÉ DI DONA: 1940-2010

Codé di Dona tem um perfil de funaná que cativou a atenção da nação” disse Eutrópio Lima da Cruz em entrevista à TCV.

Todos são unânimes em considerar Codé di Dona (1940-2010) como uma das figuras incontornáveis do funaná, género musical outrora confinada à Ilha de Santiago, hoje com ressonância universal.

Compositor de músicas definitivas do repertório nacional, como “Febri Funaná”, “Fome 47”, “Praia Maria”, “Yota Barela”, “Rufon Baré” e “Pomba”, entre dezenas de outras, Codé di Dona emocionou os cabo-verdianos, ao longo de uma meteórica vida artística, com a singularidade das suas melodias e a poesia das suas letras. A composição “Fome 47”, só para citar um exemplo paradigmático, constitui uma imensa referência sobre uma das realidades históricas mais marcantes de Cabo Verde: a estiagem, a fome e a emigração para São Tomé e Príncipe. A imagem da partida do navio “Ana Mafalda” faz parte do imaginário colectivo dos cabo-verdianos, tanto que essa música é entoada, como um hino, pelos se…

HISTÓRIA, Dire Straits... uma dentre tantas outras da minha banda preferida

Com uma harmonia perfeita de guitarra, teclados, bateria e músicas originais o DIRE STRAITS coloca o seu nome na história como uma das maiores bandas de todos os tempos.
Tudo começa quando os irmão Mark e David Knopfler resolvem formar uma banda de rock um tanto diferente das demais (pois estavam na época da plenitude do punk rock). Até então MK já tinha tido outras experiências em outras bandas (na época de formação da banda MK era um professor de inglês) e DK era funcionario público. David(guitarra), Mark(guitarra e vocal), John Illsley(baixo) e Pick Withers(bateria) que se integraram ao grupo, formaram uma banda chamada Cafe Racers que mais tarde passou a se chamar DIRE STRAITS. Juntos fizeram uma demo que incluia um, até então, futuro sucesso do grupo "Sultans of Swing", mais tarde assinaram com o selo Vertigo e conheceram Ed Bicknell que seria o empresária da banda brevemente. Logo lançaram em 1977 o seu primeiro álbum que intulava-se com o nome do grande sucesso da ban…

Depois da Bandeira

1. SÃO LOURENÇO continua a ser um dos lugares mais agradáveis da Ilha do Fogo. O cemitério casado com a igreja e a casa paroquial; um lugar quase ermo, com a cara voltada para o mar, e um punhado de terra no ventre. Terra boa que d...eu bons filhos à ilha. Nesse cemitério, sob a imagem de uma pirâmide, mesmo à entrada, fica a campa do médico e escritor, Henrique Teixeira de Sousa, natural de Outrabanda, freguesia do Santo. Dois passos à frente descansa eternamente Padre Fidelis Miraglio, o eterno pároco de S.Lourenço e um dos primeiros Padres Capuchinhos italianos a pisar Cabo Verde. Na residência paroquial, mesmo ao lado, vive outro pastor de S.Francisco: Padre Camilo Torassa, italiano, filho de Cuneo, a viver entre Fogo, S.Vicente e Brava há mais de 50 anos: apesar do mal que lhe aflige os olhos e as pernas, a lucidez o acompanha. Éramos quatro adultos e uma criança, e fomos expressamente a São Lourenço para o visitar. Conversa vai, conversa vem, desafiou a um dos visitantes que co…