Avançar para o conteúdo principal

O Haiti e (o estado das coisas)

haiti














“Inferno é o que resta para os sobreviventes do sismo no Haiti”: ouvi algo semelhante de José Alberto Carvalho que comandava uma cobertura exemplar da RTP sobre a tragédia no Haiti. A comunidade internacional, as potências mundiais, os homens de boa vontade têm a oportunidade de provar que somos todos seres humanos e iguais perante os céus.

O embaixador do Haiti nos Estados Unidos chorou na CNN quando pedia ajuda para o seu país. Uma catástrofe indescritível que nos abala no âmago.

Jornalista agredido

O jornalista da TCV, António Gomes, foi ontem agredido e humilhado por um Inspector da Polícia Judiciária. Tudo aconteceu no meio da manhã, quando o jornalista tentava ouvir a versão da PJ, na sequência de uma manifestação organizada pelos familiares de um dos jovens assassinados por thugs na semana passada em Achada Grande.

As imagens do “vexame” foram emitidas na íntegra no Jornal da Noite da TCV de ontem, onde via-se que, além da humilhação ao jornalista, o tal agente escorraçava o grupo de familiares que clamava por justiça.

Diante de tal situação, além do repúdio da Direcção da TCV, os profissionais desse órgão fizeram um abaixo-assinado onde pedem a demarcação inequívoca da Direcção da PJ, e esperam acções em conformidade “contra um indivíduo que, manifestamente, não tem perfil adequado para desempenhar a função que exerce.

Um dos pontos do documento passamos a citar:

“Recusa-se a fazer a cobertura jornalística de qualquer acto oficial da PJ, enquanto a Direcção Central da mesma não se demarcar publicamente da atitude indigna de um Inspector da PJ contra um jornalista da TCV, em pleno exercício das suas atribuições profissionais.”

Comentários

Alejandro disse…
Hi, your blog is amazing. Keep going.
If you want, you can visit my blog.
www.alexs-house.blogspot.com

Have a good day :)
Canto da Boca disse…
Eu não encontro palavra para manifestar meu pesar sobre esse acontecimento nefasto no Haiti... O que acontece ali, acontece aqui, aí, em todo lugar, a dor é universal.

Quero lhe dizer ainda que estar aqui é uma forma de estar em Cabo Verde, vir aqui me faz sentir a brisa, o carinho do povo, os amigos que tenho e a saudade que é tanta, das Ilhas Crioulas.

Lus é uma canção ímpar, sempre que a escuto, choro, a interpretação da Nanci Vieira é irretocável. Obrigada ainda, por me apresentar (ainda que numa triste hora de morte)os grandes valores musicais caboverdianos.

Um dia lindo pata ti, se possível!

Mensagens populares deste blogue

CODÉ DI DONA: 1940-2010

Codé di Dona tem um perfil de funaná que cativou a atenção da nação” disse Eutrópio Lima da Cruz em entrevista à TCV.

Todos são unânimes em considerar Codé di Dona (1940-2010) como uma das figuras incontornáveis do funaná, género musical outrora confinada à Ilha de Santiago, hoje com ressonância universal.

Compositor de músicas definitivas do repertório nacional, como “Febri Funaná”, “Fome 47”, “Praia Maria”, “Yota Barela”, “Rufon Baré” e “Pomba”, entre dezenas de outras, Codé di Dona emocionou os cabo-verdianos, ao longo de uma meteórica vida artística, com a singularidade das suas melodias e a poesia das suas letras. A composição “Fome 47”, só para citar um exemplo paradigmático, constitui uma imensa referência sobre uma das realidades históricas mais marcantes de Cabo Verde: a estiagem, a fome e a emigração para São Tomé e Príncipe. A imagem da partida do navio “Ana Mafalda” faz parte do imaginário colectivo dos cabo-verdianos, tanto que essa música é entoada, como um hino, pelos se…

HISTÓRIA, Dire Straits... uma dentre tantas outras da minha banda preferida

Com uma harmonia perfeita de guitarra, teclados, bateria e músicas originais o DIRE STRAITS coloca o seu nome na história como uma das maiores bandas de todos os tempos.
Tudo começa quando os irmão Mark e David Knopfler resolvem formar uma banda de rock um tanto diferente das demais (pois estavam na época da plenitude do punk rock). Até então MK já tinha tido outras experiências em outras bandas (na época de formação da banda MK era um professor de inglês) e DK era funcionario público. David(guitarra), Mark(guitarra e vocal), John Illsley(baixo) e Pick Withers(bateria) que se integraram ao grupo, formaram uma banda chamada Cafe Racers que mais tarde passou a se chamar DIRE STRAITS. Juntos fizeram uma demo que incluia um, até então, futuro sucesso do grupo "Sultans of Swing", mais tarde assinaram com o selo Vertigo e conheceram Ed Bicknell que seria o empresária da banda brevemente. Logo lançaram em 1977 o seu primeiro álbum que intulava-se com o nome do grande sucesso da ban…

Poema de amanhã

(...) - Mamãe!

Sonho que, um dia,
Estas leiras de terra que se estendem,
Quer sejam Mato Engenho, Dacabalaio ou Santana,
Filhas do nosso esforço, frutos do nosso suor,
Serão nossas. (...) ilustração: Mãe preta de Lasar Segall, 1930 poema: Poema de amanhã de António Nunes, 1945