Avançar para o conteúdo principal

The world support Obama

Example






















Nada como poder dizer as coisas como elas são: ou, pelo menos, como acreditamos que sejam. Lembro-me de numa das edições do Debate Africano da RDP África, há já alguns meses, o comentarista cabo-verdiano, José Luís Hopffer Almada, alertar a um dos seus colegas que, Obama, além das suas capacidades intelectuais e políticas garantes de uma boa presidência, a sua candidatura, em si, era uma grande vitória simbólica para América e para o mundo.

Hopffer Almada sublinhou, para o refrescamento da memória do seu confrade, que ainda na década de 60 os negros americanos sofriam com barreiras primárias para aceder aos mais básicos direitos, incluindo o de ir e vir. Isto apenas para reafirmar que a nomeação, ontem, na convenção dos Democratas, de Barack Obama como candidato desse que é um dos maiores partidos dos Estados Unidos da América é uma grande vitória para os negros, e para o mundo que pode estar a se distanciar das barbaridades iniciadas com a espoliação dos novos mundos a partir do século XV.

Esta verdade naturalizada, e intencionalmente longínqua, tem alimentado a atenção, sem precedentes, de grande parte do Globo para com as eleições nos Estados Unidos, mas não tem sido frisada, e nem cai bem. Primeiro, porque deita por terra o projecto Obama Presidente, segundo, porque não convém, nunca conveio.

Ontem, depois da nomeadação, por aclamação, de Obama, as reacções vieram em catadupa; dos colegas senadores, dos mandatários, de governantes, entre eles o Mayor de New Orleans, que sofreu “na pele” o desastre Katrina, mas se contiveram todos. Apenas o anchors da CNN reafirmava, sem constrangimentos, “este é um momento histórico. Barack Obama é o primeiro negro a ser nomeado candidato de um dos maiores partidos da América”.

Mas a procissão ainda vai no adro, e não se pode esquecer da declaração de Noam Chomsky, reconhecido linguista e activista político norte-americano, proferida em Boston, meses atrás, "O Partido Republicano, que tem uma vertente realmente fascista, conta com uma formidável máquina de difamação e vilipêndio que ainda não foi posta em marcha contra Obama, mas que sem dúvida será".

Comentários

Edy disse…
Será que ele vai ganhar miúda?
Gostaria que sim,mas tenho dúvidas...se ganhar pago-te um cházinho de tarde...
Pura eu disse…
Acompanho com olhos de ver (como posso) a candidatura de Obama, e ainda não estou em condições de afirmar que ele vai ganhar :(
Um chá de tarde é uma bela comemoração de vitória. A ver vamos...

Mensagens populares deste blogue

CODÉ DI DONA: 1940-2010

Codé di Dona tem um perfil de funaná que cativou a atenção da nação” disse Eutrópio Lima da Cruz em entrevista à TCV.

Todos são unânimes em considerar Codé di Dona (1940-2010) como uma das figuras incontornáveis do funaná, género musical outrora confinada à Ilha de Santiago, hoje com ressonância universal.

Compositor de músicas definitivas do repertório nacional, como “Febri Funaná”, “Fome 47”, “Praia Maria”, “Yota Barela”, “Rufon Baré” e “Pomba”, entre dezenas de outras, Codé di Dona emocionou os cabo-verdianos, ao longo de uma meteórica vida artística, com a singularidade das suas melodias e a poesia das suas letras. A composição “Fome 47”, só para citar um exemplo paradigmático, constitui uma imensa referência sobre uma das realidades históricas mais marcantes de Cabo Verde: a estiagem, a fome e a emigração para São Tomé e Príncipe. A imagem da partida do navio “Ana Mafalda” faz parte do imaginário colectivo dos cabo-verdianos, tanto que essa música é entoada, como um hino, pelos se…

HISTÓRIA, Dire Straits... uma dentre tantas outras da minha banda preferida

Com uma harmonia perfeita de guitarra, teclados, bateria e músicas originais o DIRE STRAITS coloca o seu nome na história como uma das maiores bandas de todos os tempos.
Tudo começa quando os irmão Mark e David Knopfler resolvem formar uma banda de rock um tanto diferente das demais (pois estavam na época da plenitude do punk rock). Até então MK já tinha tido outras experiências em outras bandas (na época de formação da banda MK era um professor de inglês) e DK era funcionario público. David(guitarra), Mark(guitarra e vocal), John Illsley(baixo) e Pick Withers(bateria) que se integraram ao grupo, formaram uma banda chamada Cafe Racers que mais tarde passou a se chamar DIRE STRAITS. Juntos fizeram uma demo que incluia um, até então, futuro sucesso do grupo "Sultans of Swing", mais tarde assinaram com o selo Vertigo e conheceram Ed Bicknell que seria o empresária da banda brevemente. Logo lançaram em 1977 o seu primeiro álbum que intulava-se com o nome do grande sucesso da ban…

Poema de amanhã

(...) - Mamãe!

Sonho que, um dia,
Estas leiras de terra que se estendem,
Quer sejam Mato Engenho, Dacabalaio ou Santana,
Filhas do nosso esforço, frutos do nosso suor,
Serão nossas. (...) ilustração: Mãe preta de Lasar Segall, 1930 poema: Poema de amanhã de António Nunes, 1945